Ômega-3 e doenças cardiovasculares: o que sabemos

omega2

Por Sandro L. Marques

Certamente você já ouviu falar dos ômega -3,  um grupo de gorduras “saudáveis” que pode ser encontrado principalmente em peixes como o salmão e a sardinha, por exemplo, ou vendido em cápsulas como suplemento alimentar. Seus  benefícios à saúde vêm sendo divulgados com bastante alarde pelos meios de comunicação mas, como muitos ainda não foram confirmados cientificamente, precisamos separar o joio do trigo. A Associação Americana de Cardiologia (AHA) divulgou, recentemente, um documento (1) que resume os principais resultados de vários estudos científicos sobre ômega-3 e doenças cardiovasculares, e nos traz recomendações atualizadas sobre este tema.

No momento, não há qualquer evidência, de acordo com a AHA, de que o uso de suplementos de ômega-3 ajude a prevenir a doença coronariana na população que não tem doença cardíaca conhecida ou para aqueles portadores de diabetes. Também não se recomenda a suplementação para prevenir o acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência cardíaca ou arritmias como a fibrilação atrial, pela mesma falta de estudos científicos que demonstrem benefício.  As únicas situações que justificam o seu uso são naqueles pacientes que já tiveram infarto do miocárdio ou outro evento coronariano (como angina instável) e nas pessoas portadoras de insuficiência cardíaca. Nestes casos, a suplementação de ômega-3,  reduzindo a isquemia miocárdica por ação na membrana celular,  parece reduzir a mortalidade por causa cardíaca e seu uso é recomendado.

Sendo assim, apesar de ser uma terapia relativamente segura, ômega-3 não deve ingerido indiscriminadamente e a mensagem que fica é: Se você não tem doença cardíaca e seu objetivo é preveni-la, coma peixe com frequência  e não gaste seu dinheiro com suplementos; se você é cardiopata, converse com seu médico que ele saberá lhe orientar adequadamente.

(1)https://doi.org/10.1161/CIR.0000000000000482
Originally published March 13, 2017

Dr. Sandro L. Marques é  cardiologista formado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina, com Residência Médica em Medicina Interna e Cardiologia e Título de Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Acesse perfil

Compartilhe:
AGENDAR