Pesquisa aumento de AVC

fibrilacaoatrial

(HealthDay News / Dr. Tanque)

Trabalhar horas longas pode aumentar o risco de fibrilação atrial, de acordo com um estudo publicado on-line 13 de julho no European Heart Journal.

Mika Kivimaki, Ph.D., professora de epidemiologia do University College de Londres, e colegas seguiram resultados para 85.494 pessoas no Reino Unido, Dinamarca, Suécia e Finlândia.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas que trabalhavam 55 ou mais horas por semana eram cerca de 40% mais propensas a desenvolver fibrilação atrial durante 10 anos do que aquelas que trabalhavam entre 35 a 40 horas por semana. Para cada 1.000 pessoas no estudo, houve mais 5,2 casos de fibrilação atrial entre aqueles que trabalham longas horas durante os 10 anos de seguimento, de acordo com um comunicado de imprensa do European Heart Journal.

“Essas descobertas mostram que longas horas de trabalho estão associadas a um risco aumentado de fibrilação atrial, a arritmia cardíaca mais comum”, disse Kivimaki no comunicado de imprensa. “Este poderia ser um dos mecanismos que explicam o risco aumentado anteriormente observado de AVC entre aqueles que trabalham longas horas”.

Consulte seu médico periodicamente.

Compartilhe:
AGENDAR